Evento para os apreciam a Natureza

 

 

 

Acontece nesse mês de outubro, em Campo Grande/ MS, a exposição fotográfica “Diálogos com a Natureza” de Daisaku Ikeda. Essa exposição foi realizada pela primeira vez em 1982. Nessas duas décadas ela foi apresentada em mais de 500 localidades do Japão e em vinte países, tendo sido vista por mais de 4,5 milhões de pessoas.

Daisaku Ikeda é presidente da Soka Gakkai Internaional – SGI (ONG filiada às Nações Unidas que visa a promoção de valores como a paz e o respeito humano, tendo como ideal a educação pela cidadania Global) e visitou mais de 50 nações em todo o mundo, engajando-se em diálogos com líderes de todos os campos de empreendimento humano sobre temas como a paz, cultura, educação, meio ambiente e direitos humanos. No decorrer dessas viagens fotografou cenas e paisagens que tocaram seu coração.

 

Vale a pena conferir pessoal, amanhã 1º de outubro é a abertura, que acontecerá às 20 horas, na Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, na Rua Fernando Corrêa da Costa, 559 – Centro.

 

A visitação será aberta ao público de 02 a 25 de outubro de 2007, das 8 às 20 horas (inclusive feriados) na Fundação de Cultura de MS.

 

Vai um baldinho aí?

 

 

Esse pode ser nosso futuro se não preservarmos a água!

Lugar de lixo é no lixo!

 

 

Charge de Jorge Silva

Poluição da Água

Devemos refletir sobre nosso papel como defensores do meio ambiente, a água é um bem precioso que a natureza nos proporciona, precisamos usá-la racionalmente, pois a água que por vezes jogamos fora pode faltar, e até de maneira drástica à outras pessoas. Ecnomizar a água é uma grande demonstração que nos preocupamos com a nossa casa "Terra".

 

 

 

 

 

Conhecendo um pouco sobre a Teoria de Gaia

 

 

A Teoria de Gaia, é uma tese que sustenta ser o planeta Terra umser vivo. A hipótese foi apresentada em 1969 pelo investigador britânico James E. Lovelock, afirmando que a biosfera do planeta é capaz de gerar, manter e regular as suas próprias condições de meio ambiente.

 

Para chegar a essas conclusões, o cientista britânico, juntamente com a bióloga estaduniense Lynn Margulis analisaram pesquisas que comparavam a atmosfera da Terra com a de outros planetas, vindo a propor que é a vida da Terra que cria as condições para a sua própria sobrevivência, e não o contrário, como as teorias tradicionais sugerem.

 

O nome Gaia é uma homenagem à deusa grega Gaia (nome da antiga deusa grega pré-helênica que simbolizava a Terra viva). Vista com descrédito pela comunidade científica internacional, a Teoria de Gaia encontra simpatizantes entre grupos ecológicos, místicos e alguns pesquisadores. Com o fenômeno do aquecimento global e a crise climática no mundo, a hipótese tem ganhado credibilidade entre cientistas.

 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%B3tese_de_Gaia

Você sabia?

 

Que nevou apenas uma vez no deserto do Sahara, foi no dia 18 de Fevereiro de 1979.

 

Fonte: http://www.ambienteemfoco.com.br/?p=979

“Você deve ser a mudança que você quer ver no mundo.”

                           

                                                                     Autor: Mahatma Gandhi

**Conselho para fazer em casa**

 

O papel de jornal é, provavelmente, o material de mais simples reciclagem, uma vez que não há casa onde não existam jornais velhos. Começar por aí pode ser um bom método para alterar os hábitos.

(Esse conselho também pode ser aplicado no trabalho e na escola).

Alguns motivos para separar o lixo

* A reciclagem de uma única lata de refrigerante, representa uma economia de energia equivalente a três horas com a televisão ligada;

* Uma garrafa de vidro demora 5 mil anos apara se decompor;

* Uma lata pode resistir cem anos à ação do tempo;

* Reciclar uma tonelada de alumínio gasta 95% menos energia do que fabrica a mesma quantidade;

* Uma tonelada de papel reciclado poupa 22 árvores do corte, consome 71% menos energia elétrica e representa uma poluição 74% menos do que na mesma quantidade;

* Para cada garrafa de vidro reciclada é economizado energia elétrica suficiente para acender uma lâmpada de 100 Watts durante quatro horas;

* No Brasil, cada habitante descarta 25 quilos de plástico por ano, cinco vezes menos que os americanos, um dos maiores consumidores do mundo;

* A reciclagem de 6.405 toneladas de metal, preserva 987 toneladas de carvão.

Fonte: http://paginas.terra.com.br/lazer/staruck/lixo.htm

Por que dizer não aos transgênicos?

 

 

Podemos citar dezenas de excelentes motivos para se dizer "NÃO" aos alimentos geneticamente modificados, enquanto os defensores dos transgênicos só têm um argumento de peso a seu favor: o lucro.


A ganância por ganhar cada vez mais está fazendo muitos produtores fecharem os olhos para os problemas causados pelos transgênicos, e o pior é que nem o próprio lucro está comprovado, pois segundo dados fornecidos pela CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Bio-segurança), os transgênicos são menos aceitos que os convencionais, e por isso, quem produz transgênicos, acaba produzindo menos.

 

Entre os anos de 1996 e 2001, período de grande crescimento do plantio de alimentos geneticamente modificados nos Estados Unidos, a produção por hectare cresceu 4%, enquanto no Brasil, com sementes convencionais, durante o mesmo período, a produção aumentou 25% (dados CTNBio). Além disso, segundo dados da FAEP, a produtividade de soja brasileira, por exemplo, já alcança 4 toneladas por hectare, isso demonstra que não precisamos parar de produzir alimentos convencionais substituindo-os por geneticamente modificados. Se a intenção é lucrar mais, então por que não investir na soja orgânica, que além de natural, tem mercado garantido e preço muito maior que o da convencional ou que a transgênica?


Outro grande motivo para se dizer "NÃO" aos transgênicos é que os mesmos podem ser patenteados, e quando não existir mais sementes convencionais no mercado, as empresas detentoras de seus direitos poderão cobrar quanto quiserem por suas sementes, fertilizantes e agrotóxicos, controlando como queiram o mercado e o que deve ser utilizado pelo produtor. Por isso, o que é barato e lucrativo para ser produzido hoje, amanhã pode ser o pesadelo de quem planta.

 

Fonte: http://www.eerp.usp.br/saudeambiental/saude_dicas.html

 

Simplicidade

 

 

É mole?!

Idéias que ajudam o Planteta!

 

 

Olhem pessoal que atitude bacana. Essa foi uma colaboração do nosso amigo César Augusto Santiago que viu a idéia de perto. Ele foi ao supermercado Pão de Açúcar em Ribeirão Preto, cidade onde ele mora e tirou a foto para compartilhar conosco. Dá para perceber, que alguns comércios estão começando a se preocupar com a questão ambiental em torno da sacolinha plástica e estão criando alternativas para estimular o hábito do cliente em deixar de usar a sacola plástica.

 

É isso aí, vamos dividir essas informações com as pessoas que conhecemos, porque além de preservar o meio ambiente, a comunicação ainda é a melhor maneira para a Educação Ambiental.

 

Dê sua opinião

 

 

O comércio brasileiro começa a aderir ao uso de sacolas de tecido, principalmente lona em detrimento das de plástico, que poluem o meio ambiente. Você vai aderir? Mande sua resposta por meio de comentários.

**Conselho para fazer no trabalho**

 

Leve para o trabalho seu próprio copo de vidro, evitando o uso de copos descartáveis.

(Outra sugestão que eu utilizo, é usar uma garrafa de água mineral que também pode substituir o copo descartável. É usar, guardar no armário e no dia seguinte usá-la novamente).

Você sabia?

 

 

Que o isopor é uma espuma de poliestireno que é totalmente não biodegradável. Daqui a 500 anos aquela embalagem de isopor que serviu para o seu queijo, presunto ou seu hambúrguer ontem, ainda estará sujando a superfície da terra. O que fazer? Não existe isopor seguro, simplesmente evite comprar. Diga não ao isopor!

 

Fonte: http://www.eerp.usp.br/saudeambiental/saude_dicas.html

Fora do ângulo

 

 

Se desejamos olhar para o meio ambiente e ver coisas boas, lembre-se que isso depende somente de nós!

Acordo vai acelerar fim de gases que ameaçam camada de ozônio

 

 

Os países que fazem parte do Protocolo de Montreal decidiram, na madrugada do dia 22, acelerar o ritmo para pôr um fim à emissão de gases poluentes responsáveis pela destruição da camada de ozônio. Reunidas em Montreal, as autoridades de 191 países acordaram antecipar as metas de eliminação da produção e do consumo de hidroclorofluorcarbonos (HCFC), produtos utilizados na fabricação de itens como refrigeradores e ar-condicionado que contribuem para a deterioração da camada de ozônio da Terra e para o aquecimento do planeta.


Juntamente com a Argentina, o Brasil foi um dos proponentes dessas novas medidas acordadas, de acordo com o Pnuma. Os países desenvolvidos terão metas mais rigorosas do que as aplicadas aos países em desenvolvimento, devendo fazer uma eliminação mais rápida dos HCFCs. Em outras discussões, o Brasil tem defendido que as nações ricas assumam uma responsabilidade maior em questões como essa, porque há mais tempo contribuem em maior escala para a degradação do meio ambiente.

 

Fonte: www.douradosagora.com.br

**Conselho para fazer em casa**

 

Ajude a diminuir o lixo. Evite comprar alimentos que ofereçam bandejas plásticas sem necessidade.

Desmatamento da Amazônia

Precisamos fazer algo! Manifestar-se sobre essa questão é uma atitude de preocupação com o patrimônio do Brasil.

Conseqüências previstas do aquecimento global

 

Não bastassem todos os danos que a mudança climática global prenuncia para os países pobres, um novo estudo indica que até mesmo a adaptação de algumas lavouras ao novo clima deve ser prejudicada: diversas variedades selvagens de batata, amendoim e feijão-de-corda podem acabar até 2055 devido ao aquecimento global, limitando a possibilidade de melhoramento genético das variedades hoje em cultivo.

 

De acordo com a pesquisa, patrocinada pelo CGIAR (Grupo Consultivo sobre Pesquisas Agrícolas Internacionais), até sete de 108 espécies de batata selvagem analisadas no trabalho podem sumir.


No caso do amendoim, cujas variedades selvagens vivem sobretudo no cerrado brasileiro, até 31 espécies de 51 pode desaparecer. "As plantas de amendoim selvagem crescem em planícies e teriam de migrar uma distância considerável até alcançar climas mais frescos", disse Andy Jarvis, do Ciat (Centro Internacional para Agricultura Tropical), co-autor do estudo.


O feijão-de-corda africano tem só duas espécies de 48 ameaçadas. Mesmo que não haja extinção, todas as espécies selvagens estudadas perderão território.


A maioria das espécies dos três vegetais perde mais da metade da área que ocupa hoje. Os amendoins podem perder 90% da área, afirma o trabalho, a ser publicado na revista "Climatic Change".

Fonte: Jornal da Ciência

Pesquisadora desenvolve embalagem comestível

 

 

 

Desenvolvida na Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo) pela pesquisadora Cynthia Ditchfield, a embalagem é feita a partir de um plástico comestível, biodegradável e com propriedades antimicrobianas. A base da embalagem é o amido de mandioca e alguns açúcares. Segundo a pesquisadora, estão em desenvolvimento dois tipos de embalagens ativas.

 

A primeira é antimicrobiana, ou seja, age retardando ou inibindo o crescimento de microorganismos no produto, com a utilização de ingredientes naturais que possuem essa comprovada ação, tais como o café, mel, própolis, cravo, canela, pimenta e óleo essencial de laranja. A segunda embalagem indicadora de pH (potencial hidrogeniônico) altera a cor de acordo com a acidez do produto. Quando o alimento estraga, há uma alteração de acidez e a embalagem muda de cor, informando que aquele produto não está bom para o consumo.

 

Nesse projeto a pesquisadora adicionou à embalagem produtos naturais para aumentar a vida dos produtos alimentícios na prateleira. A invenção ainda não é possível ser produzida em escala industrial.

 

Essa embalagem pode ser interessante aos empresários, trazendo diversos benefícios econômicos e ambientais para o Brasil, uma vez que o país é um grande produtor de mandioca e sacarose, fundamentais ao processo de produção do projeto. Como a embalagem é comestível e biodegradável, reduzirá a quantidade de resíduos sólidos lançados no meio ambiente.

 

Fonte: Revista Com Ciência Ambiental, março de 2007.

 

 

 

Os prós e os contras da Energia Nuclear

Sim, sim e sim

Colocando as vantagens e desvantagens na balança, o famoso cientista inglês James Lovelock defende a produção de energia nuclear. Segundo ele, as pessoas ainda têm medo do que o lixo atômico pode causar, mas hoje as usinas nucleares são bem seguras e podem ser uma saída para um problema ainda maior: o aquecimento global.

Não, não e não

Tem gente que acha que os riscos da energia nuclear são muito grandes e que é melhor não arriscar. É o caso do Greenpeace, uma organização não governamental com sede em Amsterdã e presente em mais de 40 países.

Defensores do meio ambiente, os membros dessa organização são contra a instalação de usinas nucleares. Segundo eles, as energias renováveis, chamadas de limpas, podem resolver o problema energético do mundo. O que está faltando é investimentos.

Sua opinião

E você, depois de ler essas matérias no blog, o que pensa sobre a energia nuclear? Que tal participar da discussão e mandar comentários?! 

Fonte: http://www.plenarinho.gov.br/noticias/

 

A Energia Nuclear e as Angras

O Brasil possui duas grandes usinas nucleares: Angra I e Angra II, que ficam no estado do Rio de Janeiro. O governo planeja, agora, a instalação de Angra III. Mas o aumento do uso de energia nuclear tem dividido a opinião dos especialistas. Tem gente que é a favor e há também quem seja contra. 

As usinas nucleares produzem energia a partir do urânio. Quando retirado da natureza, esse elemento químico é apenas um pó amarelo. Para ser utilizado nas usinas, precisa ser enriquecido, quer dizer, misturado a outras substâncias. Depois de enriquecido, o urânio se transforma em pequenas pastilhas que vão para o reator da usina. É no reator que o núcleo do urânio é partido ao meio (processo chamado de fissão). Com essa divisão, há liberação de calor que se transforma em energia.

Vantagem

O grande benefício da energia nuclear é que ela não libera gases que poluem a atmosfera e contribuem para o aquecimento global. Esse é o grande problema de fontes como o carvão e o petróleo. Por isso, a energia nuclear é considerada por alguns especialistas uma solução para o aquecimento global.

Desvantagem

O grande problema da energia nuclear é que os restos do urânio enriquecido, depois da fissão, viram um lixo perigoso. Esse lixo, chamado de atômico, pode causar câncer nos homens em poucos dias, isso claro, se não for bem armazenado. O jeito é guardar com muita segurança os restos da usina nuclear, em buracos feitos de concreto e chumbo, para que a radiação não saia dali. Não há outra solução, pelo menos até agora, para acabar com o lixo atômico. 

Ah! E tem um detalhe muito importante: o “superlixo” demora milhares de anos para ser decomposto.

Fonte: http://www.plenarinho.gov.br/noticias/reportagem-especial/rafinha-leia/?searchterm=energia%20nuclear

"Terra o mais bonito dos Planetas. Terra pobre terra, homem pobre homem, tanto tira e tão pouco dá. Um dia vai pedir, vai implorar, vai mendigar o que a terra não terá mais pra dar".

Autora: Ana Lúcia Freire

Buscar na Web "Ana Lúcia Freire"

Filtro de cigarro vira papel

O descarte do filtro de cigarro, que em várias cidades é chamado como bituca, é uma questão que passa longe das discussões ambientais. São 140 bilhões de cigarros consumidos por ano no Brasil, e não dá para deixar de pensar qual o destino desse material. E qual o problema ambiental causado pelo descarte do filtro do cigarro? É que ele sai da fábrica revestido de uma espécie de resina que dificulta a decomposição: o acetato de celulose.

A professora do Instituto de Artes e de assuntos comunitários da Universidade de Brasília (UnB), Therese Hoffman Gati, vem se especializando há quase vinte anos, na nobre tarefa de reciclar materiais absolutamente improváveis, que também é o caso do cigarro. A professora Therese e o grupo que ele coordena na UnB pantentearam uma técnica que transforma dinheiro velho em celulose – e essa celulose vira papel.

Usando essa técnica no filtro de cigarro, se você pegar 1 quilo de bituca, de quimba, de filtro de cigarro, isso será transformado em 1 quilo de papel. O material do cigarro que tem acetato de celulose, papel e resíduos do fumo, é cozido num produto alcalino, depois lavado refinado e finalmente vira papel.

A reciclagem de filtros de cigarro gera benefícios para as florestas, já que se reduz a demanda de celulose para a fabricação de cigarros. Há ainda outros usos para os filtros, uma Empresa de Curitiba, por exemplo, tritura filtros de cigarro para fazer diminuição de encostas, técnica usada para plantar grama.

Fonte: Livro Mundo Sustentável, de André Trigueiro.

Que boa idéia!

O estabelecimento Assaí, um supermercado em Ribeirão Preto (SP), não fornece sacolinhas plásticas aos seus clientes, no caso se a pessoa quiser uma, tem de pagar 0,12 centavos por unidade que é revertido para o Hospital do Câncer da cidade.

Uma boa alternativa para incentivar seus clientes a levarem sua própria sacola assim, colaborando com o meio ambiente. E mais, o dinheiro para quem preferir comprar a sacolinha ajuda a quem realmente necessita.

Uma junção de apoio à natureza com a responsabilidade social! Pois é pessoal, vamos todos levar nossa própria sacola às compras e fazer nossa parte para ajudar o Planeta, e se for muito necessário comprar sacolinhas, que seja para ajudar ao próximo!!!

Contribuição: César Augusto Santiago

E para comemorar o Dia da Árvore, algumas das 10 árvores mais magníficas do mundo

 

São magníficas mesmo. Algumas parecem que são até de mentira, como a árvore de duas pernas e a árvore toda furadinha. Não é montagem. Para dar esse efeito, o fazendeiro Axel Erlandson “moldava” as árvores. Todas as outras árvores da lista não possuem interferência humana e mesmo assim são incríveis.

 

 

 

 

  

 

 

   

 

 

 

 

 

 

Mais imagens: http://www.neatorama.com/2007/03/21/10-most-magnificent-trees-in-the-world/

 

 

**Conselho para fazer em casa, na escola ou no trabalho**

 

Incentive a coleta seletiva do lixo. Você pode comprar duas lixeiras de cor diferente e separar o lixo sólido (plástico, papel, vidro) do lixo orgânico (restos de comida).

Reaproveitamento da Casca de Coco

 

 

O coco assim como a manga e jaca, embora muito bem adaptados e bastante apreciados por aqui, não são originários do Brasil. Vieram da Ásia, o coco foi introduzido com sucesso no Brasil em 1553, logo no início da colonização portuguesa.

 

O coco é saboroso, relativamente barato e muito saudável. Toma-se a água, come-se a polpa, mas a casca é impiedosamente descartada, o que gera um enorme problema ambiental. Em São Paulo, estima-se que a quantidade de coco vendida por ano seja suficiente para encher três mil caminhões de coleta de lixo. No Rio de Janeiro então, onde o consumo é altíssimo, principalmente no verão, são 400 toneladas de coco por dia.

 

O que pouca gente sabe é que a casca leva em media 12 anos para se decompor. É um resíduo pesado, que ocupa espaço nas latas de lixo, nos caminhões e, principalmente, nos aterros. Sem contar que o coco vazio pode ser um grande hospedeiro para o mosquito da dengue.

 

O que fazer com a casca do coco então? O que pouca gente no Brasil se deu conta é que dá para transformar as fibras da fruta em cordas, tapetes, chapéus, encostos para carros e aviões.

 

No Rio de Janeiro existe um projeto chamado Coco Verde, é um projeto interessante porque além de eliminar o lixo, oferece uma alternativa ao xaxim, que em 1992 foi considerado uma espécie em extinção no Brasil, sendo proibido seu corte e exploração pelo Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente). Na área onde é feito o projeto, o coco é dilacerado, triturado, passa por um processo de secagem e aí se transforma em dois subprodutos: o pó que transforma-se num substrato idêntico ao xaxim e na fibra.  

 

Transmitido pela Rádio CBN em 29/11/2003. Publicado no Livro Mundo Sustentável, de André Trigueiro.

21 de Setembro – DIA DA ÁRVORE

Árvore é sinônimo de vida. Uma árvore, por si só, pode nos trazer muitos benefícios. Desde a sombra aconchegante, até a folha de papel. As florestas plantadas (reflorestamentos) pelo homem devolvem a ele serviços e bens. Mas o equilíbrio tem que ser mantido com a preservação das matas nativas e a proteção dos mananciais, onde a flora e a fauna encontram ambientes diversificados.

 

Sob o aspecto econômico, valiosos produtos obtemos da árvore: madeira para as construções e o mobiliário, celulose para o papel, carvão para as caldeiras, substâncias medicinais, óleos, resinas, gomas, essências, mel, frutos, flores e muitos outros.

 

Sob o aspecto ecológico, dela recebemos incontáveis benefícios: a proteção dos solos, rios, nascentes; a preservação da vida silvestre; a manutenção da qualidade de vida, e muito mais.

Por tudo isso, é da maior importância a conscientização e a contribuição de cada um de nós, plantando uma árvore e cuidando para que ela se desenvolva.

Fonte: http://www.cnpm.embrapa.br/campo/arvore.html

“Só existem dois dias do ano em que não podemos fazer nada.

O ontem e o amanhã”.

 

Autor: Mahatma Ghandi

Buscar na Web "Mahatma Ghandi"

Os Dez Mandamentos do Amigo do Planeta

 

 

1. Só Jogue Lixo no Lugar Certo

2. Poupe Água e Energia

3. Não Desperdice

4. Cuide dos Animais e Plantas

5. Cuide das Árvores

6. Não Polua

7. Coleta seletiva de lixo

8. Conheça e conviva com a natureza

9. A natureza não vota e nem se defende. Faça você por ela!

10. Crie um clube de amigos do planeta na escola, no trabalho ou associação!

Fonte: http://www.jornaldomeioambiente.com.br/especial/dezmandamentos.asp

Olha as queimadas aí gente...

 

 

Se não fizermos nossa parte para ajudar o meio ambinete daqui a pouco só sobra o Grosso mesmo.

Charge de Jorge Silva

Incêndio em Parque nos EUA

 

 

E não é só o Brasil que sofre com as queimadas. Em 16 de setembro aconteceu um incêndio na floresta de San Bernardino, em Fawnskin na Califórnia (EUA), obrigou cerca de 5.000 pessoas a abandonarem as suas casas em duas comunidades da montanha, informaram as autoridades norte-americanas, mais de 500 famílias foram retiradas do local.

 

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/album/070918_album.jhtm?abrefoto=39

 

 

 

Registrado alto índice de incêndios em MS

 

 

 

O índice de queimadas em áreas florestais em todo país é 30% maior do que os números registrados no ano passado, fazendo com que especialistas se refiram a 2007 como o “ano do fogo”. A informação publicada pela Agência Brasil de Notícias é do coordenador do Prevfogo (Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais), Elmo Monteiro.

Em Mato Grosso do Sul entre os dias 13 e 14 de setembro, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 132 focos de queimadas em Mato Grosso do Sul. Somente em Corumbá, foram 68 pontos de incêndio detectados pelo satélite que cobre a região. No município de Miranda, foram 16 focos.

Em toda região do Pantanal, a estimativa é que pelo menos 100 mil hectares tenham sido destruídos pelo incêndio, em focos que se encontram em Aquidauana, Corumbá e Miranda.

As queimadas geram uma série de efeitos negativos como empobrecimento do solo, poluição, destruição de redes de eletricidade e cercas, entre outros.

A prevenção permanente  é a melhor maneira de evitar os danos causados pelos incêndios florestais. O período de maior perigo de ocorrência  de queimadas  é de julho  a outubro, quando a vegetação fica seca em função das geadas e ao período de estiagem.

 

O uso  indiscriminado do fogo tem causado destruição de cercas e pastagens em propriedades rurais, ocasionado  a morte  de  animais,  fechamento de  aeroportos,  desligamento de  linhas  de transmissão  de energia elétrica, além de afetar a saúde  das  pessoas, contribuindo para o aumento de doenças respiratórias, como bronquites alérgicas.

 

Fonte: Midiamax e RMTOnline

 

“Nunca, mas nunca, a natureza seguiu um caminho e a sabedoria outro.”

 

 Autor: Edmund Burke

Buscar na Web "Edmund Burke"

Homem

Se não cuidarmos da natureza a humanidade será a próxima espécie em extinção.

Cervo-do-Pantanal

 

 

Apresentam o hábito de formar pequenas famílias constituídas pelo macho, a fêmea e jovens de idade diferentes. Alimentam-se de gramíneas, brotos de arbustos, e costumam se alimentar ao amanhecer ou ao entardecer. Esta ameaçado de extinção e é de difícil criação em cativeiro.

 

Fonte: http://www.pantanalms.tur.br/mamiferos4.htm

 

Felinos

Apesar de tão temida, foge da presença humana e mesmo nas histórias mais antigas, são raros os casos de ataque ao homem. Como necessita de um amplo território para sobreviver, pode "invadir" fazendas em busca de animais domésticos, despertando, assim, a ira dos fazendeiros que a matam sem piedade. Por esse motivo, e sobretudo pela rápida redução de seu habitat, esse animal, naturalmente raro, ainda encontra-se a beira da extinção em nosso país.

Fonte: http://www.saudeanimal.com.br/felinos.htm

Primatas

 

 

Mico Leão Dourado - As causas de sua extinção são o tráfico de animais e destruição do habitat. Atualmente, resta apenas um único local de preservação deste animal: a Reserva Biológica de Poço das Antas, no Município de Silva Jardim, Rio de Janeiro.

Fonte: http://www.saudeanimal.com.br/extinto14.htm

Ave Silvestre

 

 

 

Papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis) é uma das aves que estão sob risco de extinção no mundo.

A espécie é endêmica de uma região, isto é, somente é encontrada em um único lugar no mundo. Sua área de ocorrência abrange uma estreita faixa que vai do litoral sul de São Paulo, atravessa a costa do Paraná e chega até o extremo norte do litoral de Santa Catarina.

 

Fonte: www.faunabrasil.com.br

Mamíferos Exóticos

 

 

 

Estes felinos encontram-se espalhados por toda a Ásia, das neves da Sibéria às quentes selvas da Índia. O tigre foi sempre perseguido pelo homem, já que devora animais domésticos e, por vezes, mesmo pessoas. Mas a maior ameaça para os tigres não parte dos caçadores, mas sim dos agricultores, já que cada vez se devastam maiores áreas de selva para convertê-las em terras de cultivo, o que deixa os tigres sem um lugar para viver.

A destruição contínua do seu habitat e o comércio ilegal dos seus órgãos são fatores que levarão rapidamente à extinção dos tigres. Estes são utilizados para tratamentos médicos tradicionais chineses. O osso do tigre, que se acredita ter qualidades para aliviar as dores, é uma das partes mais bem pagas no mercado, além da sua pele.

 

Mamíferos Exóticos

 

 

Filhote de urso polar fotografado em um Zoológico de Berlim, Alemanha. A mãe, que se chama Tosca, recusou o filho.

É uma espécie ameaçada de extinção devido o efeito estufa que vem aquecendo cada vez mais o planeta Terra, derretendo e afinando o gelo da região. Desta forma, a sua área de movimentação diminui dificultando a busca do seu alimento principal que é a foca. As fêmeas fracas e famintas, não produzem leite e os filhotes acabam morrendo.

 

Fonte: Reuters

 

Mamíferos Exóticos

 

 

A aridez, os incêndios florestais e o desenvolvimento urbano estão matando os coalas australianos e podem colocar a espécie em risco de extinção dentro de uma década, dizem os ambientalistas.

Foto: Anoek de Groot/AFP

 

“O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.”

Autor: Mário Quintana

 Buscar na Web "Mário Quintana"

2030: o ano final do Cerrado

Estudos da ONG ambientalista Conservação Internacional Brasil (CI-Brasil) indicam que o Cerrado deverá desaparecer até 2030. Dos 204 milhões de hectares originais, 57% já foram completamente destruídos e a metade das áreas que sobraram estão bastante alteradas, podendo não mais servir para a conservação da biodiversidade. A taxa anual de desmatamento no bioma* é de 1,5%, ou 3 milhões de hectares por ano.

As principais forças sobre o Cerrado são a expansão da fronteira agrícola, as queimadas e o crescimento não planejado das áreas urbanas. A degradação é maior em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, no Triângulo Mineiro e no Oeste da Bahia.

O Cerrado perde 2,6 campos de futebol por minuto de sua cobertura vegetal. Essa taxa de desmatamento é dez vezes maior que a da Mata Atlântica, que é de um campo de futebol a cada 4 minutos, o que explica o Diretor da CI-Brasil Ricardo Machado.

 

Muitos líderes e tomadores de decisão defendem, equivocadamente, o desmatamento do Cerrado só porque não é coberto por densas florestas tropicais, como a Mata Atlântica ou a Amazônia. Essa posição ignora o fato de o bioma abrigar a mais rica savana do mundo, com grande biodiversidade, e recursos hídricos valiosos para o Brasil. Nas suas chapadas estão as nascentes dos principais rios das bacias Amazônica, do Prata e do São Francisco.

 

* Bioma (comunidade biológica, ou seja, fauna e flora e suas interações entre si e com o ambiente físico: solo, água e ar.)

Fonte: http://www.ambientebrasil.com.br/

Crime ambiental que nada!

 

Só uma arvorezinha, qual o problema de o planeta se tornar um desastre ambiental?! Não podemos admitir isso! As árvores precisam ser preservadas e essa realidade não pode ser encarada com vista grossa pelas autoridades que cuidam do meio ambiente, é deixar os interesses de lado e ser mais sensivel às questões ambientais. A Terra é nosso santuário de devemos cuidá-la!

 

Charge de Jorge Silva

Contradição!

Casa pra quê te quero?!

Foto tirada em 30 de dezembro de 2006 em um dos meus passeios ao Lago do Amor. O local foi revitalizado pela Prefeitura Municipal, habitado por várias capivaras, garças e outros animais, o lago tornou-se um atrativo para muitas pessoas. O problema é que parece que tem passarinho reclamando que ficou sem casa.

** Conselho para fazer em casa**

 

Leve uma bolsa para as compras. Assim, você evitará o consumo de embalagens desnecessárias.

Tirando a roupa pelo Planeta

Em protesto de conscientização, em agosto deste ano, centenas de voluntários do Greenpeace subiram até a geleira Aletsch, nos Alpes suíços e tiraram toda a roupa. A manifestação aconteceu como forma para chamar o máximo de atenção possível para o aquecimento global.

 

Nos últimos 150 anos, as geleiras alpinas já diminuíram em quase um terço de sua superfície original, e já perderam metade de seu volume. E o degelo está mais acelerado a cada dia que passa.

 

A mensagem que o Greenpeace suíço quis passar foi: "o corpo humano é tão vulnerável quanto as geleiras que estão desaparecendo". Apesar de o assunto do momento ser aquecimento global, mudanças efetivas continuam a ser muito lentas.


Precisamos mudar nossos hábitos o mais rápido possível, enquanto ainda há tempo. Seja com roupa ou sem!

Fonte: http://greenpeace.blogtvbrasil.com.br/clima

É responsabilidade nossa cuidar do Planeta!

 

Precisamos mais do que nunca compreender que nossa atitude, por mais simples que ela seja, pode ajudar a salvar o Planeta. Vamos juntos lutar pela vida!  

Fontes de Energia Alternativa

 

A energia tem sido através da história a base do desenvolvimento das civilizações. Nos dias atuais são cada vez maiores as necessidades energéticas para a produção de alimentos, bens de consumo, bens de serviço e de produção, lazer.

 

As fontes alternativas de energia vem através dos tempos ganhando mais adeptos e força no seu desenvolvimento e aplicação, tornando-se uma alternativa viável para a atual situação em que o mundo se encontra, com as crises de petróleo, pela dificuldade de construção de centrais hidroelétricas, termelétricas, carvão mineral, xisto, usinas nucleares e outras formas de energia suja, como são classificadas e que geram uma grande degradação ambiental.

 

Por exemplo, construir uma hidroelétrica hoje, significa desabitar e destruir uma grande área verde. O termo fonte alternativa de energia não deriva apenas de uma alternativa eficiente, ele é sinônimo de uma energia limpa, pura, não poluente, a princípio inesgotável e que pode ser encontrada em qualquer lugar pelo menos a maioria na natureza.

 

Os tipos de fonte alternativa de energia são: a Energia Solar (que utilizam o sol como fonte de energia), a Energia Eólica (dos ventos), Biomassa (é todo recurso renovável proveniente de matéria orgânica de origem animal ou vegetal), PCH's (que significa Pequenas Centrais Hidroelétricas, é um sistema que aproveita o fluxo natural de um rio ou riacho, sem causar um grave desequilíbrio para a fauna e flora do lugar), Maré-Motriz (sistema que utiliza o movimento de fluxo das marés) e Células a Combustível (uso de hidrogênio como combustível).

 

Fonte: http://www.nea.ufma.br/fae.php

Você sabia?

 

Que cada tonelada de papel reciclado evita, em média, a derrubada de 16 a 30 árvores? Então a alternativa é incentivarmos seja, em nosso trabalho, nossa escola ou até mesmo em nossa casa a reciclagem do papel.

 

Fonte: http://www.vega.com.br/item.asp?id=11

Aproveitamento do vento no Ceará

 

No Ceará, principalmente perto do mar, existe muito vento. O jeito foi arranjar um modo de aproveitar essa dádiva da natureza. Até que tiveram a idéia de construir grandes aerogeradores, os "cataventos", para que o vento viesse e movimentasse essas grandes máquinas. Quanto mais vento, mais energia.

 

Bem, isso foi há algum tempo. Hoje já existem várias usinas eólicas no País, inclusive no Ceará. Uma delas se chama Usina Eólica do Porto das Dunas, que é a maior da América Latina. Ela possui cerca de 20 aerogeradores e gera a potência de 10 mw, que dá para abastecer uma cidade com até 50 mil habitantes. Cada um dos aerogeradores possui 41 metros de altura. A hélice de cada um possui 20 metros, e eles são construídos com fibra de vidro.

 

As vantagens da energia eólica são que ela não polui o ambiente e é uma energia renovável.

 

Fonte: http://www.plenarinho.gov.br/

Momento de reflexão...

 

Desfrutamos de tantas coisas maravilhosas que a mãe natureza nos proporciona. É o ar que respiramos, a água que faz parte da nossa sobrevivência, o alimento que nos nutre, as roupas que cobrem o nosso corpo, os combustíveis que permitem nossa locomoção, o sol para iluminar o nosso dia, a chuva para refrescar a terra.

 

Diante de tantos benefícios que a natureza nos oferece, o que temos feito para cuidá-la? São muitas as pequenas atitudes que podemos tomar que fazem toda a diferença para a preservação do meio ambiente.

 

Podemos começar economizando a água, apagando uma lâmpada, não jogando lixo no chão, evitando o uso desnecessário de papel, compartilhar com os outros as alternativas em ajudar o planeta, pois aqueles que se preocupam em fazer parte dos defensores da vida sempre tem uma maneira diferente de praticar a preservação, e essa troca de informações faz com que nos tornemos mais responsáveis na colaboração das questões ambientais.

 

O planeta hoje, nos faz um apelo: “conscientização e preservação”! Pois um novo mundo não é apenas possível, mas absolutamente necessário. E isso depende de cada um de nós.

Conheça a Lenda do Guaraná

 

Conta a lenda dos índios Sateré-mauê que havia três irmãos: 2 rapazes e 1 moça. Os rapazes eram muito preguiçosos e dependentes da irmã. Quando ela ficou grávida e deu à luz um menino de belos olhos negros, os tios invejosos o assassinaram aos 5 anos. A mãe retirou-lhe os olhos e plantou-os como sementes, pedindo a Tupã que lhe devolvesse a vida, em forma vegetal. 

 

E assim surgiu o guaraná, uma planta nativa da Amazônia, com forma de arbusto ou cipó. Seus frutos apresentam um tom avermelhado e as sementes são negras e recobertas por uma parte branca, dando-lhe a aparência de um olho humano. O guaraná é um dos produtos da Amazônia muito valorizados no mercado devido ao seu alto teor do estimulante cafeína.

**Mude o clima – Em sua casa**

 

Escove os dentes com a torneira fechada. Uma forma simples e eficiente de economizar água.

Rio de Janeiro, junho de 2006 – O Brasil não escapa dos efeitos das mudanças climáticas. Calçadões, casas e bares construídos à beira do mar poderão ser destruídos por ondas ou com o aumento de apenas meio metro das águas. A vazão de sistemas de esgoto mal planejados será invertida, provocando sérios problemas de saneamento e saúde.

 

Groelândia, julho de 2005 – Nos últimos 50 anos, as regiões polares registraram um aumento de temperatura de 3,5 graus. O derretimento de gelo causado por esse aquecimento provoca, entre outros efeitos, a elevação do nível dos oceanos com efeitos trágicos para todas as ilhas e regiões costeiras.

Alasca, julho de 1999 – Com o aquecimento global, as grandes massas de gelo do planeta estão derretendo. Isso coloca em risco de extinção várias espécies que dependem desse ambiente para sua sobrevivência, como morsas, ursos polares, focas e pingüins.

“Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frágil, o futuro enfrenta, ao mesmo tempo, grandes perigos e grandes promessas. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio de uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos somar forças para gerar uma sociedade sustentável global, baseada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura de paz. Para chegar a esse propósito é imperativo que nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade da vida e com as futuras gerações”.

 

Carta da Terra, maio de 2000.

Aconteceu com o Presidente Lula...

 

Segundo a descrição de jornalistas presentes em Tucuruí no Estado do Pará, numa instalação da Eletronorte, o presidente ganhou uma caixa de bombons de cupuaçu, deu alguns para quem estava à sua volta, comeu um e na hora de se livrar da embalagem, deixou ela amassada na mão fechadinha. Sentou do lado do governador do Pará, passou o braço em volta da cadeira e??? Se livrou do incômodo da embalagem do bombom, destino: chão.

 

Que tipo de análise ou comentário a gente pode fazer a partir disso? Primeiro, não pode o presidente da República jogar lixo ou qualquer outra coisa no chão. É algo negativo, uma demonstração de algo que a gente, no Brasil, nas grandes cidades principalmente, entende como um problema: o descarte de todo resíduo no lugar errado.

 

O presidente fez uma prática que na verdade é mais comum do que se pensa... Não tem coisa pior que você, dentro de um carro, ver o motorista da frente jogando lixo pela janela. Ou, então, alguém que joga lixo no chão e justifica: “Puxa vida, mas não tinha nenhuma lata de lixo aqui perto!” Põe no bolso! Não é?

 

Claro! O bolso pode ser a primeira opção. Se não posso jogar no chão, o que é que eu faço? Posso colocar no bolso, posso também segurar na mão. No caso de uma autoridade, ela pode chamar um imediato, um secretário qualquer, e gentilmente pedir: “Por favor, livre-se disso, porque eu não posso parar a cerimônia para procurar uma lata de lixo, então me ajude!”.

 

As pessoas sabem que quando jogam lixo no chão estão fazendo algo que não é certo. Entretanto fazem! Daí a necessidade de campanhas, daí a necessidade de exemplos e mais do que isso de atitude, da atitude nossa enquanto cidadão, pois queremos e devemos lutar para um mundo melhor e para a preservação do meio ambiente.

 

Transmitido pela Rádio CBN em 28/11/2004. Participação de Tânia Morales, publicado no Livro Mundo Sustentável de André Trigueiro.

**Conselho para fazer no trabalho**

 

Geralmente, usamos só um lado do papel. Aproveite o outro lado para tomar notas, fazer rascunho ou testes de impressão. Imprima e tire cópias só quando for necessário, e se possível, utilizando os dois lados da folha.

Ato em Salvador lembra vítimas do acidente com o césio -137

Um ato em memória das vítimas do acidente radioativo com o césio-137 reuniu  na manhã destra segunda-feira, ativistas na Praça Municipal, no Centro Histórico de Salvador. Vestidos de preto, cerca de 40 ativistas deitaram no chão enquanto uma pessoa disfarçada de morte representava os riscos da energia nuclear. A morte simbólica foi uma maneira de lembrar os mais de 60 mortos e as milhares de pessoas afetadas pelo acidente com as cápsulas radioativas de césio-137 em Goiânia, que completa 20 anos esta semana. O ato foi iniciativa do Greenpeace, GAMBA e Associação Movimento Paulo Jackson Ética, Justiça e Cidadania, e contou com a participação de Suely Lima de Moraes Silva, representando a Associação das Vítimas do Césio 137 (AVICÉSIO).

Até hoje, a tragédia de Goiânia em 1987 é considerada o pior acidente radioativo em área urbana da história. No dia 13 de setembro daquele ano, dois catadores encontraram uma peça de metal que continha uma fonte de césio-137 nas ruínas abandonadas do Instituto Goiano de Radioterapia. Alguns dias depois, a peça foi vendida para um ferro-velho e desmontada por Devair Ferreira, que ficou fascinado com o que encontrou dentro do cilindro de metal: um pó azul que brilhava no escuro - o césio-137.

No dia 19 de setembro, Devair levou o pó para casa e o material virou atração para a família e os amigos. Muitos deles ganharam de presente um pouco do pó, e assim, tragicamente, o césio-137 foi se espalhando e fazendo mais e mais vítimas. Quando o acidente foi descoberto, as autoridades mandaram policiais e bombeiros sem proteção para isolar a área, que acabaram se contaminando. As vítimas tiveram suas casas e pertences destruídos e levados para um aterro. Os trabalhadores que fizeram a demolição e o transporte do material também se contaminaram.

Estima-se que as 19 gramas de césio-137 contidas naquela fonte contaminaram mais de 6 mil pessoas, segundo dados da AVICÉSIO. Os afetados sofrem com problemas como câncer, defeitos genéticos, seqüelas psicológicas e preconceito. A tragédia ainda deixou como herança mais de 20 toneladas de lixo radioativo.

Fonte: http://www.greenpeace.org/brasil/

Olá Pessoal!

Este Blog é um espaço para falarmos e conhecermos um pouco mais sobre o meio ambiente, uma maneira para compreendermos como nossa educação ambiental pode influenciar no meio em que vivemos.

Sou acadêmica do último ano do curso de Jornalismo pela UNIDERP e o Blog, voltado para as questões ambientais, é meu instrumento de estudo para o Trabalho de Conclusão de Curso. Acredito que por meio dele poderemos informar e conscientizar as pessoas da importância em se preocupar com o meio ambiente.

A interatividade que o blog oferece nos permite que juntos possamos discutir e trocas idéias sobre um assunto que atualmente, necessita de uma atenção mais que especial, pois cada um tem de compreender que é parte de um todo e que qualquer solução deve necessariamente envolver cada indivíduo.

Espero que os conteúdos apresentados contribuam para o conhecimento e reflexão, pois somos responsáveis pelas ações com o planeta. Participe, comente, dê sugestões ou críticas. Vamos juntos entrar numa conexão ambiental!

Yara Dosso

Alternativas para a recilagem do óleo

Comer fritura não só faz um grande mal ao sistema circulatório como também, acredite, contribui para a degradação do meio ambiente. É que o destino do óleo usado na preparação dos alimentos costuma ser o ralo ou a lixeira. O líquido em seguida passa para a rede de esgotos e lixões ou aterros sanitários. Resultado: por um punhado de batatas fritas ou asinhas de frango leva-se à poluição das águas, solo e mesmo do ar pela emissão de metano do óleo decomposto. Mas não se desespere. Ao menos no Rio de Janeiro, quem quiser se livrar da sua cota de sujeira pode ligar no Disque-óleo, uma empresa que recolhe o material para fabricação de sabão ou biodiesel.

 

Um dos poluentes menos populares, o óleo de cozinha pode causar problemas ambientais sérios. Ao ser jogado no ralo, o óleo usado vai para a rede de esgotos e chega a rios, mares e lagoas prejudicando o equilíbrio da natureza. Como não se dissolve na água, o óleo impermeabiliza o solo diminuindo a quantidade de oxigênio. Ele pode matar os seres unicelulares que são a base dos ecossistemas, comprometendo seriamente o equilíbrio ecológico. Também adere às paredes das tubulações de esgoto, facilitando o entupimento e o surgimento de enchentes. Se descartado no lixo comum, o material se decompõe emitindo metano, um dos gases causadores do efeito estufa.

A empresa Disque Óleo Vegetal, fica no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Existe desde 2005 e nasceu dos nove anos de experiência do empresário Wellington Gomes na coleta por conta própria do óleo usado em restaurantes. O líquido era vendido para fabricantes de sabão em estado bruto. Hoje, montada a empresa, a coisa mudou. O óleo adquirido em estabelecimentos comerciais e domicílios da Grande Rio é purificado antes da revenda. Assim eles obtêm um produto com maior valor. O refino é feito dentro das normas da Feema (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente).

A Disque Óleo compra o material armazenado em garrafas PET por 60 centavos o litro, se ele for entregue diretamente na empresa. Mas quem quiser a comodidade de ter as garrafas buscadas em casa pode receber de 30 a 40 centavos por litro, dependendo da distância. Atualmente, a empresa chega a produzir 80 mil litros de óleo refinado por mês, pronto para a indústria saboeira ou para virar biodiesel, os principais destinos do óleo comercializado.


Fonte: http://www.oeco.org.br/

Humor e Educação

Se até os pinguins estão reclamando é porque a situação está feia mesmo. Já demos algumas dicas de como contribuir para a redução do aquecimento global. Então pessoal é só agir, cada um fazendo sua parte para um mundo melhor!

Ainda temos tempo para que as coisas não cheguem a esse ponto. Pense nisso!

Charge de Jorge Silva

Você sabia?

 

Que o "pum" da vaca faz mal ao planeta. Pode parecer engraçado, mas isso revela preocupações muito sérias para a preservação do meio-ambiente. O relatório da ONU sobre o futuro do clima e temperatura do planeta para as próximas décadas revela fatos muito curiosos.

O Brasil é o quarto maior emissor de gases tóxicos do mundo. Na linha de frente vêm as queimadas na Amazônia e no meio agrícola em todo o país, seguido por emissão de gás metano produzido pelos gases do gado e dos aterros onde se depositam o lixo urbano. E está aqui a maior das curiosidades: O "peido" do gado gera 80% do total de gás metano disperso na atmosfera.

E a constatação fica pior quando se sabe que o desmatamento da Amazônia é causado por fazendeiros que derrubam árvores para criar pastos para aumentar o rebanho de gado bovino. A poluição se dá em dose dupla: Primeiro, com emissão de CO2 com a queimada da floresta, para meses depois, aumentar a emissão do metano produzido pelos gases emitidos pelos animais.

Fonte: http://jjafil.blogspot.com/2007/02/o-peido-da-vaca-faz-mal-ao-planeta.html

Humor - Contradição

 

É uma pena que as leis ambientais não sejam cumpridas!!!

Charge de Jorge Silva, site www.douradosagora.com.br

**Conselho para fazer em casa**

 

Economize água. Uma torneira que deixa cair uma gota por segundo acaba disperdiçando 30 litros por dia.

 

Dia 16 de Setembro é o Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio 

Em 16 de setembro de 1987, 46 países assinaram um documento chamado "Protocolo de Montreal" no qual se comprometiam a parar de fabricar o gás Clorofluorcarbono (CFC) que é um composto orgânico de carbono, flúor, cloro e hidrogênio, foi desenvolvido na década de 30 mas seu uso só se intensificou após a 2a Guerra Mundial, quando encontraram a forma de aplicá-lo em diversos produtos, como geladeiras e outros eletrodomésticos que não existiam antes. Ele é apontado como o maior responsável pela destruição da camada de ozônio na estratosfera.

Para comemorar o feito, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou a data como Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio. Mesmo com a queda do consumo de CFC em 76% no mundo todo, observada entre os anos de 1988 e 1995, o gás é comercializado no mercado negro, movimentando entre 20 e 30 mil toneladas por ano.

Podemos fazer a nossa parte no que diz respeito à proteção da camada de ozônio e também à nossa própria proteção. Uma contribuição importante (quando possível claro) é a troca dos eletrodomésticos antigos pelos mais modernos, que já possuem meios de economizar energia, emitindo menos gases para a estratosfera, onde se encontra a camada de ozônio.

Nos produtos brasileiros, quando se lê a palavra clean gravada neles, significa que não contêm clorofluorcarbono (CFC). Também ao usar a lavadora de roupas, com dispositivo para água quente, fria ou morna, podemos dar preferência à temperatura de água menos quente ou mesmo fria. Podemos ainda evitar as temperaturas máximas dos aparelhos de ar refrigerado ou dos aquecedores, fechando bem as janelas ao utilizá-los.

Caminhar, andar de bicicleta, utilizar transporte de massa, reutilizar, reciclar, plantar árvores para ter mais sombra, pintar as casas de cores claras nos países quentes e de cores escuras nos países frios são atitudes simples que qualquer pessoa pode ter e que, em larga escala, economizam energia e, conseqüentemente, evitam as emissões de todos os tipos de gases na atmosfera. Usar protetor solar (fator 15), sempre que estiver exposto ao sol, é outra grande dica. Não só quando for à praia, mas em qualquer situação de exposição à luz solar.

 Fonte: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/

"A Terra pode oferecer o suficiente para satisfazer as necessidades de todos os homens, mas não a ganância de todos os homens."

Autor: Mahatma Gandhi

Buscar na Web "Mahatma Gandhi"

Entidades e pesquisadores debatem uso de carvão vegetal em MS 

Começa no Plenário Júlio Maia, do Palácio Guaicurus, sede da Assembléia Legislativa, a audiência pública sobre "A cadeia produtiva do carvão vegetal e seus impactos ambientais", proposta pelo primeiro vice-presidente do legislativo estadual, Deputado Amarildo Cruz (PT). O evento conta com a participação de órgãos públicos, organizações não-governamentais, sindicatos e pesquisadores.

Compõem a mesa diretora dos trabalhos parlamentares, o Deputado Federal Antônio Carlos Biffi (PT), o chefe da Divisão Técnica do Ibama, Jânio Marques da Silva, o promotor de Justiça Ambiental, Luciano Anechini, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Carvoarias, Marcos Marin, o diretor da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (FIEMS), Irineu Milanese, a pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Pantanal, Débora Calheiros, o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Valter Favaro, e o superintendente de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, das Cidades, de Planejamento, de Ciência e de Tecnologia (Semac), Roberto Ricardo Machado Gonçalves, e o Deputado Estadual Akira Otsubo (PMDB).

O evento debate a madeira destinada para a produção de carvão em Mato Grosso do Sul. De acordo com especialistas, restam apenas 12% da mata nativa em Mato Grosso do Sul. Proposta de Cruz pretende proibir a utilização de mata nativa na produção de carvão para siderúrgicas.

 Fonte: http://www.al.ms.gov.br/

Iniciativa em reduzir o uso de sacolas plásticas em São Paulo

 

São Paulo quer tentar substituir as sacolas de plástico usadas em supermercados, locadoras, padarias e outros estabelecimentos comerciais por embalagens não descartáveis, o plástico oxibiodegradável. No dia 28 de agosto, a Prefeitura lançou uma campanha para estimular o uso dessas embalagens. No mês de julho, o governador José Serra (PSDB) vetou um Projeto de Lei que obrigava o uso de sacolas oxibiodegradáveis no lugar das atuais sacolas plásticas.

 

Há polêmica a respeito do plástico oxibiodegradável, pois apesar de ele ter decomposição mais rápida do que o plástico usado atualmente, ainda não se sabe ao certo os efeitos no meio ambiente dos aditivos aplicados em sua fabricação. O fabricante do aditivo acelerador da decomposição do polímero diz que o produto é adotado em 40 países, como Alemanha e Estados Unidos.

 

Para a pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Lucia Mei, que estuda a ação dos aditivos do produto no meio ambiente, ainda é cedo para saber o efeito das substâncias e que não há qualquer evidência técnica da condição ambiental desse tipo de produto.

 

As diferenças entre os dois tipos de sacolas

 

·   A matéria-prima usada para a fabricação da sacola plástica hoje é o polietileno, feito a partir do petróleo.

 

·  Essas sacolas demoram cerca de 200 anos para se decomporem na natureza. Esse é o prazo médio estimado por especialistas, já que ainda não é possível afirmar com certeza o tempo exato de degradação desse tipo de material.

 

·   A decomposição do plástico libera gás carbônico e água. O excesso de gás carbônico é um dos fatores que provocam o efeito estufa.

 

·  Apesar de ser reciclável, o plástico tem desvantagens, como o longo prazo para a decomposição.

 

·  O Oxibiodegradável é um tipo de sacola que também é feito a partir do polietileno. Porém, um aditivo químico com sal metálico é colocado na produção do filme durante o processo de fabricação das sacolas para acelerar a degradação que leva cerca de 18 meses para se decomporem.

 

·  Apesar de ter um processo de decomposição mais rápido do que o da sacola plástica usada atualmente, a oxibiodegradável contém aditivos químicos que podem atingir o meio ambiente.

 

·  Pesquisadores brasileiros desenvolveram plásticos biodegradáveis, feitos à base de mandioca e de cana-de-açúcar. O açúcar é usado para alimentar bactérias, que o transformam em polímero plástico.

 

 

Fonte: http://agenciact.mct.gov.br

 

 A farra dos saquinhos plásticos

 

O Brasil é definitivamente, o paraíso dos saquinhos plásticos. Todos os supermercados, farmácias e boa parte do comercio embalam em saquinhos plásticos tudo o que passa pelo caixa. Não importa o tamanho do produto que se tenha à mão: aguarde a sua vez porque ele será embalado um saquinho plástico. O pior é que isso já faz parte da rotina como algo normal, como se o destino de cada produto comprado fosse mesmo um saco plástico. Nossa dependência é tão grande que, quando ele não está disponível, costumamos reagir com reclamações indignadas.

 

O uso dos sacos plásticos vem tomando conta do planeta desde que o inglês Alexander Parkes inventou o primeiro plástico, em 1892. O novo material sintético reduziu os custos do comerciante, mas os estragos causados pelo exagero de plásticos jogados na natureza tornou o consumidor um colaborador passivo de um desastre ambiental de grandes proporções. Feitos de resina sintética originada do petróleo, esses sacos não são biodegradáveis e levam séculos para se decompor na natureza.

 

Usando a linguagem dos cientistas, esses saquinhos são feitos de cadeias moleculares inquebráveis, e é impossível definir com precisão quanto tempo levam para desaparecer no meio natural. 

 

A preocupação com a questão dos sacos plásticos tem levado à mudanças importantes na legislação e na cultura de vários países. Na Alemanha, por exemplo, quem não anda com sua própria sacola para levar as comprar é obrigado a pagar uma taxa extra pelas sacolas plásticas, o preço é equivalente a sessenta centavos por unidade.

 

Na Irlanda, desde 1997 paga-se imposto de nove centavos de libra irlandesa por saco plástico. A criação da taxa fez multiplicar o número de irlandeses indo às compras com suas próprias mochilas e sacolas de pano ou palha. Em toda a Grã-Bretanha, a rede de supermercados CO-OP mobilizou a atenção dos consumidores com uma campanha original e ecológica: usar sacos plásticos 100% biodegradáveis em todas as suas lojas para embalar os produtos. Segundo testes em laboratórios, o material se decompõe 18 meses depois de descartado, com um detalhe interessante: se por acaso não houver contato com a água, o plástico se dissolve assim mesmo, porque serve de alimento para microorganismos encontrados na natureza.

 

Felizmente no Brasil já existem iniciativas nesse sentido, a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip) vai orientar panificadores de todo o País a incentivar clientes a levar a própria sacola para as compras. A iniciativa foi inspirada na atitude dos comerciantes de Joinville (SC), que desde 2004, oferecem 10% de desconto no pão e no leite para as pessoas que levarem uma sacola de casa. Ainda o Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Jorge, participa na preparação de uma campanha que reduz o hábito das pessoas a usarem os sacos plásticos.

 

Fonte: Livro Mundo Sustentável, de André Trigueiro e Site do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Lição de moral...

Vocês, adultos, dizem para nós, crianças, não brigarmos, não destruírmos, para dividir... Porque vocês então não fazem a mesma coisa? Se vocês não sabem como cuidar da natureza, por favor, não a destruam.

Trecho do discurso de uma das jovens canadenses que vieram ao Brasil para participar da Eco 92, em 11 de junho de 1992.

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]

Yara Dosso
yaradosso@gmail.com

Visitante número: